Número de sílabas (desde 11/2008)

counter

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Sete Cidades

Legião Urbana - As Quatro Estações


Esta música é daquelas que você escuta depois de muitos anos e, depois, fica se perguntando onde foi que se perdeu.
E o pior é que se perdeu mesmo, não há retorno… Lembro perfeitamente do dia em que minha irmã me telefonou no trabalho e me disse que ele havia morrido. Eu poderia, se eu soubesse, desenhar aquele instante. Fiquei anestesiado o dia inteiro. Não tinha concentração, meu pensamento não assimilava que não havia mais, definitivamente, a pessoa que deu corpo aos sentimentos da minha geração, a “Geração Coca-Cola”. Hoje, Primeiro de Maio, uma amiga postou este vídeo com uma gravação exclusiva da música “Sete Cidades” com a incidental “Ruby Tuesday” dos Rolling Stones pra uma campanha promocional do disco As Quatro Estações em uma rádio, coisa que já não faz mais nem sentido numa época de tanta virtualidade, de tanta facilidade de acesso. A “exclusividade” daquela época, ah, aquilo não tinha preço… Brigava-se por fitas K-7 com aquelas coisas. Que valor tem hoje isso, que é tão fácil, tão banal? Uma conexão rápida, alguns minutos, e zás!, a discografia com as raridades que você garimpava aos tapas nos submundos musicais. A transgressão hoje é aos direitos autorais… Sim, sim, a democratização da arte, o ilimitado acesso a ela, mas, e o senso de importância que só se adquire na contemplação da impossibilidade e no subsequente “fazer o impossível”? Meu Deus, quando eu cheguei em casa com meus vinis da Legião… Não há retorno, mas há memória!
Quis postar esta canção aqui por dois motivos: a mais pura nostalgia; e um testemunho de que houve no Brasil uma geração que trazia o “coração perfeito” nas mãos, na boca, sangrento, vivo! Nós tivemos a honra de ter sido contemporâneos de músicos que deram coração, cérebro e alma ao rock brasileiro. Hoje… o que temos hoje?
Meu amor, minha adolescência estão nesta música.
video

“Sete Cidades”
Legião Urbana
Composição: Dado Villa-Lobos, Renato Russo & Marcelo Bonfá

Já me acostumei com a tua voz
Com teu rosto e teu olhar
Me partiram em dois
E procuro agora o que é minha metade

Quando não estás aqui
Sinto falta de mim mesmo
E sinto falta do meu corpo junto ao teu

Meu coração é tão tosco e tão pobre
Não sabe ainda os caminhos do mundo

Quando não estás aqui
Tenho medo de mim mesmo
E sinto falta do teu corpo junto ao meu

Vem depressa pra mim
Que eu não sei esperar
Já fizemos promessas demais
E já me acostumei com a tua voz
Quando estou contigo estou em paz
Quando não estás aqui
Meu espírito se perde, voa longe


Goodbye, Ruby Tuesday
Who could hang a name on you?
When you change with every new day
Still I'm gonna miss you...


"Urbana Legio omnia vincit!"

Nenhum comentário: